Construção civil

Sacadas de sucesso

Alumínio é aliado fundamental em fechamento de varandas agregando segurança e resistência aos projetos

Vitor Valencio 04/05/2016
A+ A-

A sala de estar pode ter diminuído, mas as varandas nunca estiveram tão maiores e em evidência. O mercado imobiliário, impulsionado pela ascensão da classe média, tem visto a popularização das chamadas sacadas gourmet, que ganharam cada vez mais espaço no setor. E por agregar beleza e resistência às estruturas o alumínio é tido como aliado fundamental nos projetos.

“O fechamento de sacadas traz mais conforto ao ambiente, para fugir do vento em dias de frio. Além de proteger o mobiliário e plantas que podem estragar ou se quebrar”, explica Paulo Bolzoni, gerente comercial para o mercado da construção civil da Alcoa.

Tradicionalmente, existem duas maneiras usuais para o fechamento de sacadas: do chão até o teto, em um sistema de fechamento tipo camarão, no qual as folhas de vidro são recolhidas umas sobre as outras, privilegiando a abertura total do vão, ou com os vidros apoiados no gradil normalmente instalado na fachada do edifício. Para ambas existe uma norma que estabelece as especificações técnicas para este tipo de instalação, a ABNT – NBR16259/2014.

Por se tratar de itens diretamente ligados à segurança dos moradores, é preciso que todo o conjunto composto por alumínio e vidro passe por rigorosos testes. Os sistemas são submetidos a ensaios de verificação do comportamento sob ações repetidas de abertura e fechamento e de impacto de corpo mole “sem que haja ruptura dos vidros ou de qualquer componente e seu desempenho”, especifica a engenheira Michele Gleice, do Instituto Tecnológico da Construção Civil (Itec), laboratório que realiza ensaios de acordo com as normas técnicas vigentes e procedimentos específicos .

Alumínio

Embora o vidro seja o material mais aparente no fechamento de varandas, o alumínio é o protagonista do sistema, compondo as estruturas. Como o vidro é um material duro, e portanto quase inflexível, a maioria das adaptações são sanadas pelo leve metal, que segundo a NBR 16259 deve ser protegido, tendo como acabamento anodização ou pintura. Felipe Adjuto, é diretor da Vetro System e explica que o alumínio é fundamental no processo de instalação dos painéis de vidro. “Serve para fixação dos perfis de nivelamento e rodízio nas estruturas, assim como dos perfis de vidro para deslizamento dos painéis”.

De acordo com Marcio Mussi, gerente de marketing e produto da Dorma, na América Latina, cada painel pesa cerca de sessenta quilos e exige mais resistência da estrutura de alumínio montada para os vidros. O peso é sustentado pelo trilho superior que ainda conta com um conjunto de roldanas e de freio.

A empresa utiliza um sistema com placas de vidro de até dois metros e oitenta centímetros de altura por oitenta centímetros de largura. Dimensões capazes de preservar a sensação de amplitude, além da proteção contra vento e chuva. Assim, é evidente que cada perfil deve ser precisamente adaptado ao projeto da sacada em que será instalado. “Por isso, o alumínio é o material perfeito. Além de leve, permite a confecção de curvas, detalhes e encaixes perfeitos para a instalação de qualquer sistema”, ilustra Paulo Bolzoni, da Alcoa.

Entretanto, nem todos os gradis disponíveis em construções e no mercado são adequados para a instalação de vidros. Pensando nisso, a Alcoa desenvolveu um sistema para sua Linha Universal Varanda, com perfis previamente projetados para suportar o peso e as condições climáticas de cada região do país.

De acordo com Bolzoni “são as normas NBR 6123/88 e NBR 10821/11 que definem os parâmetros de resistência do conjunto. A velocidade do vento é categorizada de 1 a 5, onde 1 representa ventos de até 108 km/h – a maior parte na região Nordeste e Centro- -Oeste – e 5 caracteriza as regiões com maior pressão do vento, com até 180 km/h, normalmente no Sul do pais”, detalha. Além disso, os métodos de ensaio também regulam outros elementos como roldanas, parafusos, rebites e outros componentes utilizados na fixação e instalação do sistema de envidraçamento de sacadas. “Esses componentes devem ser submetidos ao ensaio de névoa salina, por 72 horas, conforme o método de ensaio apresentado na NBR 8094”, explica Michele.

Os profissionais consideram ambíguo definir o envidraçamento como esquadrias. Para tanto, “os vidros temperados ou laminados precisam ser sustentados por perfis e componentes bem dimensionados, como roldanas, por exemplo. No entanto, em grande parte dos fechamentos instalados em sacadas não há perfis na vertical entre os vidros, portanto, não é possível garantir a estanqueidade à água”, esclarece a engenheira Fabiola Rago Beltrame, diretora do Instituto Beltrame de Qualidade e uma das responsáveis pelos testes de normatização do envidraçamento no Brasil.

Além da combinação entre leveza e resistência que tornaram o alumínio naturalmente a melhor opção para esse tipo de aplicação, Jorge Batlouni, vice-presidente de tecnologia e qualidade do Sindicato da Construção Civil (Sinduscon), ressalta que o caráter sustentável do leve metal incentiva ainda mais o mercado. “Alguns prédios buscam certificações ambientais. Nesses casos, são solicitados para a empresa de extrusão de alumínio a utilização de “tarugos verdes”, originados de reciclagem”, afirma Batlouni.

Assine nossa newsletter Receba as novidade da Revista Alumínio
Formulário de Newsletter