Mercado Mercado

De olho na “magrela”

Crescimento do número de ciclistas na Europa impulsiona a produção de quadros de alumínio para e-bikes

06/03/2017
A+ A-

Pergunte  a qualquer entusiasta do ciclismo onde estão os melhores lugares para pedalar. A resposta será: Europa. Amsterdã e Copenhague contam, respectivamente, com 36% e 23% da população utilizando bicicletas como principal meio de transporte.

Em 2015, na Alemanha, as vendas de e-bikes representaram 12,5% das vendas de todo o mercado de bicicletas. No mesmo período, a Holanda viu um crescimento de 24% nas compras do produto, cerca de 276 mil unidades comercializadas no país. Até mesmo o Reino Unido, que caminha timidamente neste mercado, observou um crescimento de 20% no segmento de bicicletas elétricas, no ano passado.

Até então, a Ásia era responsável por fornecer os quadros e partes para bicicletas e e-bikes para os principais players do mercado na Europa. Porém, a junção de três empresas do ramo – Rodi, Miranda e a Ciclo Fapril – deu vida à Triangle’s, que recebeu um investimento de 14,5 milhões de euros para dar início à produção de quadros de alumínio para bicicletas elétricas, com um sistema totalmente automatizado. Programada para iniciar a produção no começo de 2018, com capacidade estimada em meio milhão de frames anualmente, desponta como uma empresa que poderá mudar o panorama do mercado na Europa.

Além da portuguesa, outra empresa anunciou a entrada no segmento, para fornecer os frames de alumínio e demais partes para as e-bikes. A turca Korel Eletronik, especializada no trato com o metal leve na produção de itens de linha branca e também para o setor automotivo. Atualmente, a companhia processa, por ano, 20 mil toneladas de material de alumínio por meio de seus 15 extrusores. Cerca de 50% da produção da empresa é exportada.

De olho nos movimentos do mercado, os turcos começaram a produzir quadros no final de 2016 para serem usados nas bicicletas da marca da empresa, a Corelli. A intenção, a princípio, é fornecer para o mercado doméstico. A médio prazo, a Korel busca demais fabricantes de bicicletas elétricas como clientes, principalmente aqueles com sede nos estados-membros da União Europeia, para onde a empresa pode exportar sem impostos.

Um dos clientes em potencial é o Accel Group, que figura entre os principais fornecedores de bicicletas e e-bikes da Europa. Ao colocar-se no mercado, assim como a Triangle’s, a Korel compete diretamente com os produtos vindos da Ásia, tanto em preço quanto qualidade. A novidade pode ser benéfica para os países europeus e seus ciclistas, população que tende a aumentar ainda mais e ter sempre em mente a opção mais sustentável.

Assine nossa newsletter Receba as novidade da Revista Alumínio
Formulário de Newsletter