Entrevistas

Entrevista com Janaína Oliveira, repórter ganhadora da 9º Edição do Prêmio João Valiante de Jornalismo

A reportagem “Reciclagem de metais transforma vidas e ajuda o meio ambiente” recebeu o reconhecimento da Associação Brasileira do Alumínio

21/06/2016
A+ A-
Janaína Oliveira, repórter da Agência RadioWeb e ganhadora do Prêmio João Valiante de Jornalismo 2016
Janaína Oliveira, repórter da Agência RadioWeb e ganhadora do Prêmio João Valiante de Jornalismo 2016

O Prêmio João Valiente de Jornalismo é uma iniciativa da Associação Brasileira do Alumínio (Abal) que desde 1999 reconhece a melhor reportagem sobre reciclagem de alumínio veiculada na categoria Mídia Impressa & Webjornalismo e Mídia Eletrônica. O intuito é expandir o conhecimento sobre as vantagens da cadeia de reciclagem do metal leve, como a preservação do meio ambiente e a questão social. Em sua 9º edição, a premiação ocorre junto c om a ExpoAlumínio e a vencedora de 2016 foi a reportagemReciclagem de metais transforma vidas e ajuda o meio ambiente” produzida por Janaína Oliveira,  repórter da Agência RadioWeb de Brasília. A matéria foi veiculada na rádio e ganhou repercussão em 357 emissoras, atingindo um público de cerca de 55 milhões de ouvintes. Em entrevista à Revista Alumínio, Janaína conta as surpresas e descobertas sobre a cadeia do alumínio ao longo de sua matéria. Confira.

Como surgiu a ideia da matéria?

Foi me dada uma missão de fazer uma pauta especial, então pensei em fazer algo sobre a reciclagem. A princípio, não tinha pensado em um tema especifico, mas depois de pesquisar constatei que a reciclagem do alumínio merecia um destaque, em razão das latinhas de cerveja e refrigerante serem quase 100% recicladas no Brasil. Então decidi retratar o que a reciclagem desse material proporciona à quem trabalha. É possível sobreviver vendendo alumínio? Liguei em várias associações e cooperativas aqui do Distrito Federal e me encantei com a história da Recicla Vida. Para a minha surpresa, encontrei histórias de superação, de realização de sonhos e projetos almejados por meio do trabalho com a reciclagem!

Você já tinha conhecimento de como era a cadeia de reciclagem de latas de alumínio no Brasil?

Tinha pouco conhecimento. Eu estava ciente de que boa parte da reciclagem era feita pelas mãos de catadores e de pequenas empresas de coleta. Não imaginava que o ciclo era tão intenso e que envolvia tantas pessoas. Foi preciso entender os próximos passos do ciclo da reciclagem do alumínio, busquei as empresas maiores que recebem todo o material. Entrei em contato com a ABAL, entrevistei um especialista na reciclagem de resíduos sólidos. Conforme ia escrevendo sentia a necessidade de colocar mais uma informação, de complementar a matéria.

Quais foram as suas surpresas durante a reportagem?

Surpreendi-me quando percebi que um material tão simples, que para uns não é nada, para outros é tudo. Lembro-me que de cinco catadores que entrevistei, quatro diziam: “a latinha para mim é ouro, foi dela que criei meus filhos e netos”. Fiquei mais surpresa ainda quando entrevistei os personagens desta matéria e todos me afirmaram que não gostariam de deixar a profissão de catador, que gostam do que fazem. Também foi emocionante saber que eles têm a consciência que estão ajudando o meio ambiente.   

Sua visão mudou à respeito da reciclagem e dos catadores?

Mudou no sentido de que, diferente do que muitos imaginam, os catadores são felizes com o que fazem! Compreendi também que mais do que nunca a política de resíduos sólidos deve ser colocada em prática, não só para ajudar os envolvidos neste trabalho, mas para ajudar o meio ambiente que necessita tanto de ajuda.

Qual é a importância de trabalhar matérias com essa temática?

É fundamental! Tenho certeza que esta matéria alcançou centenas de catadores, que ao ouvirem histórias de vidas transformadas, irão se orgulhar da profissão que têm. Aos que não são catadores, foi levado à beleza da conquista através do trabalho digno, além de comprovar a importância da reciclagem para o meio ambiente.  Revelou que os catadores são dignos, trabalham com integridade.

Como foi sua reação ao saber que ganhou o prêmio?

Ganhar um prêmio como este significa o reconhecimento do meu trabalho. É de certa forma prazeroso, estou muito feliz por fazer parte da história da reciclagem do alumínio. Porém, cabe ressaltar que levar esse tipo de informação também é um prêmio, e que me deixou ainda mais contente por ter somado ao do João Valiante de Jornalismo. Foi uma conquista que agradeço a Deus, aos meus colegas de equipe, a Agência Radioweb e a ABAL por reconhecer este trabalho.

Assine nossa newsletter Receba as novidade da Revista Alumínio
Formulário de Newsletter