Edição 36 - 3º trimestre
Especial

Resistência e lucratividade


Consórcio de empresas do alumínio lança carroceria aberta para carga seca: a mais leve da categoria, com garantias de resistência mecânica e mais lucrativa que as concorrentes


Imagem: Magentaking sobre imagens Abal

LONGARINAS
Desenvolvidas em alumínio estrutural, contam com sistema especial de travas. Na mesma liga, a 6082 T6, são feitas as 12 travessas

GUARDA TRASEIRA
Assim como as tampas laterais, a traseira é feita de perfis encaixados. Com peso reduzido, a peça facilita a abertura

PISO SEGURO
Detalhes do projeto revelam o cuidado do design: exato encaixe do piso no quadro garante segurança e elegância ao produto

GUARDAS LATERAIS
Tampas laterais removíveis auxiliam o processo de carga e descarga, deixando livre acesso à parte inferior do caminhão. Até o fueiro pode ser retirado (à esq.)

PERFIS EXCLUSIVOS
Foram criados 20 perfis extrudados, que otimizam uso de insumo e garantem resistência. Destaque para o perfil em forma de "J" que forma as travessas

Depois de mais de duas mil horas de desenvolvimento e pesquisa, é lançada, no mercado nacional, a primeira carroceria aberta 100% alumínio para caminhões carga seca, criada com tecnologia brasileira. A inovação está na combinação de leveza, resistência e lucratividade. Com 952 quilos, o implemento, projetado para o caminhão truck, de três eixos e 8,5 m de comprimento, é o mais leve da categoria, com menos da metade do peso da versão em aço.

A redução no peso acarreta aumento da capacidade de carga para o caminhão, o que se traduz em resultado financeiro, segundo estudo da Associação Brasileira do Alumínio (Abal), que capitaneou o projeto.

Tendo em vista condições de uso médias de mercado, em termos de ocupação e ociosiodade, o projeto concluiu que o lucro proporcionado pelo produto é superior ao dos concorrentes. Em oito anos de operação, um caminhão com a carroceria de alumínio geraria R$ 65,7 mil - valor 2,8 vezes superior aos R$ 23,8 mil do produto em aço; e também mais vantajoso que os R$ 28,5 mil da madeira.

Outro indicador favorável ao lançamento é o tempo de retorno do investimento. Em alumínio, o valor aplicado no implemento retorna em 44 meses. No caso da madeira, isso acontece em 68 meses; e, no aço, em 89.


PÁGINAS :: 1 | 2 | Próxima >>

Revista Alumínio

Edição 39 Abril/
Maio/
Junho
2014

Untitled Document
 

Copyright © 2011 - Segmento MC Editores Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.